A Céu Aberto

Brasil

Este sol, de relax

Stan Getz no Sax

Um mar plano, azul

Bossa Nova, do sul

Desse país quente, a poente

Que se tem presente, por permanente

Neste  hemisfério distante

Por esse som insinuante

Duma melodia cadente

Como um anoitecer latente

Dum Sol que se esboroa lentamente

Numa praia deste mar continente

Que nos liga em raízes de cor

Intrincadas num renovado alvor

Cadenciado, nestas águas lentas

Que, num ápice viram tormentas

E que nestes momentos saudosos

Trazem à memória, gestos valorosos

Doutros homens, doutros tempos

Que em duras provas, sofrimentos

Nos trouxeram a bo(ss)a nova

Da descoberta de outrora

Por um acaso sazonal

No punho serrano, dum Cabral

Essa terra de cor, animista

Salpicada dum novo travo saudosista

Que numa amálgama celeste

Refrearam uma natureza agreste

Compondo uma nova sonata

Numa melodia inata

Num som urbano, subtil

Um rosto humano: Brasil!

image

Anúncios
This entry was published on 1 de Abril de 2013 at 11:40 and is filed under Poesia, Retratos. Bookmark the permalink. Follow any comments here with the RSS feed for this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: